• Icones
  • INSTRUMENTOS PARA CONSULTA

  • Conheça as 11 ações que os funcionários do CREA-PR se comprometeram a executar em sua rotina diária:

    1 - Desligar o monitor na hora do almoço
    * é obrigatório desligar CPU e monitor após o expediente

    2 - Apagar todas as luzes na saída para o almoço
    * é obrigatório apagar todas as luzes após o expediente

    3 - Trocar o uso de copinho plástico para o café/chá por caneca

    4 - Adotar o uso de garrafa de água, ao invés do uso constante de copinhos plásticos

    5 - Separar o lixo em: papel, vidro, plástico e orgânico

    6 - Manter em local definido folhas utilizadas na frente para nova utilização na impressora (verso)

    7 - Manter local definido para depósito de papel já usado nos 2 lados (para descarte)

    8 - Antes de guardar o papel para reuso ou destinação final tirar clips e grampos

    9 - Ficar alerta para identificar e avisar sobre lâmpada queimada, torneira vazando, descarga desregulada, paredes sujas, etc

    10 - Ter comprometimento com o cuidado do ambiente

    11 - Reaproveitar os envelopes de papel, com novos usos

  • Conheça as sugestões encaminhadas pelo corpo funcional

    1 - Implantar PGRS nas unidades do CREA-PR

    2 - Buscar parceria com cooperativas e associações de catadores de papel para destinação do lixo coletado de forma seletiva

    3 - Mapear os utensílios disponíveis para coleta de lixo (lixeiras, cores, suporte para copo, café e água)

    4 - Modernização do ar condicionado (Lda)

    5 - Substituir frota a gasolina para uso de biocombustível (etanol)

    6 - Melhorar processos buscando maior adesão à documentos eletrônicos

    7 - Implantar programa de redução do uso de papel

    8 - Instalar sensor de presença em locais de menor acesso (arquivos, bwc, por exemplo)

    9 - Substituir torneira dos banheiros por torneiras de pressão

    10 - Criar mensagem positiva, voltada a sustentabilidade, para inserir na assinatura dos e-mails dos funcionários

    11 - Adotar uso de 100% de papel reciclável

    12 - Disponibilizar garrafa térmica para água - uso nos veículos

    13 - Aquisição de picotador de papel (para destinação de material sigiloso / dados cadastrais, etc)

    14 - Verificar melhor forma de destinação para grampos e clips

    15 - Disponibilizar lixeira (tnt) para carro

    16 - Disponibilizar suporte de garrafa (individual) para veículo

    17 - Realizar campanha antitabagismo

    18 - Incentivar adoção de Programa "Carona Solidária"

    19 - Aquisição de caneca de alumínio (para chá e café) em subsituição aos copinhos plásticos

    20 - Rever procedimentos e alternativas a impressão constante de fichas cadastrais

    21 -Adequar a impressão de ARs / sobra de papel

    22 - Realização de Palestras sobre Educação Ambiental

    23 - Fornecer roteirização (GPS) aos agentes de fiscalização - segurança/tempo/produtividade

    24 - Estipular um local para anotar nº de memorandos tramitados internamente no setor, suprimindo assim a impressão do mesmo, deixando-o somente virtual ex: do administrativo para o fiscal)

    25 - Identificar se há alguma restrição de documento que não possa ser impresso em papel reciclado

    26 - Rever os formulários utilizados no atendimento, se é possível inserir alguns campos para anotação de dados da ficha cadastral, suprimindo assim sua impressão

    27 - Priorizar o uso de meios eletrônicos (e-mail, arquivos eletrônicos, etc)

    28 - Analisar formas de reduzir a poluição visual nas unidades do Conselho (painel eletrônico)

    29 - Verificar mecanismo que impeça a incidência direta de luz solar no ambiente de trabalho, de modo que se mantenha a iluminação e a ventilação através das janelas

    30 - Instalação de sistema eletrônico de controle de luz (acende e apaga com horário agendado)

    31 - Verificar a viabilidade de secadores de mão com ar quente em substituição de toalhas/papel

    32 - Incentivar o uso de bicicleta (casa/trabalho/casa)

    33 - Disponibilizar bicicletário e também um vestiário (troca de roupa e banho)

    34 - Promover o “dia sem elevador”

    35 - Verificar a viabilidade para disponibilizar ônibus de transporte ao corpo funcional

    36 - Desligar a máquina fotocopiadora ao sair

    37 - Incentivar o corpo funcional a praticar o voluntariado

    38 - Racionalizar recursos não abrindo as unidades em datas de vésperas de feriado (uma vez que é baixa a procura por atendimento)

    39 - Descartar o uso de máquinas de café (foi unanime que pouquíssimos usam) e retornar ao café disponibilizado aos setores pela Copa

    40 - Verificar se as sugestões acatadas, estão contempladas no projeto da nova sede (principalmente no tocante a racionalização de água, energia / torneiras de pressão, descarga inteligente, saboneteiras...)

    41 - Disponibilizar orientações ao corpo funcional a respeito do uso dos equipamentos e materiais (o que é mais correto em relação a ligar/desligar, pode reusar o papel na impressora, etc)

    42 - Disponibilizar local de coleta de pilhas e outros resíduos perigosos

    43 - Uso apenas de pautas eletrônicas nas Câmaras Especializadas

    44 - Extinguir memorandos impressos dentro de um mesmo setor

    45 - Inserir como projeto futuro a digitalização de processos e protocolos

    46 - Estudar o uso de envelope vai-e-vem de papel e não de plástico como é hoje

    47 - Redução de certos impressos / funcionários percebem que há sobra de material (ex. catálogo empresarial)

    48 - Reduzir o "volume" do lixo, amassando latas de alumínio, por exemplo

    49 - Não amassar as folhas de papel pois prejudicam a reciclagem

    50 - Disponibilizar palestras sobre o tema de sustentabilidade e apresentação de "cases" de outras empresas

    51 - Motivar os funcionários a adotar "1 dia sem carro"

    52 - Utilizar os banners já usados para a confecção de crachás e outros materiais.

    53 - Rever nº de lanches solicitados para as reuniões, evitando desperdício

    54 - Manter motivados os funcionários com a apresentação constante de sugestões que venham de encontro a filosofia do Pacto Global

    55 - Usar sacos plásticos com cores diferenciadas por tipo de lixo (contemplar no PGRS)

    56 - Instituir o "Dia da Doação" para doação de roupas, livros, objetos, etc

    57 - Comprar produtos de qualidade, evitando o não uso e também possíveis descartes

    58 - Trocar toalheiro atual de tecido por toalhas de papel

    59 - Instalação de rampa de acesso para cadeirante no Desus/Call center (estar preparado para receber cadeirante)

    60 - Disponibilizar caixa coletadora de pilhas, baterias, óleo de cozinha...

    61 - Ampliar a disponibilização de serviços on line. caso do visto profissional entre outros

    62 - Estudar a possibilidade de frota com carros elétricos

    63 - Maior aproveitamento da iluminação e da ventilação natural

Entra em vigor a Lei Brasileira de Inclusão


Antes conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência, nova lei tramitou no Congresso por 15 anos e passou a valer 180 dias após a sanção, garantindo direitos nas áreas de trabalho, saúde, educação e infraestrutura das cidades

A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (LBI – Lei 13.146/15) entrou em vigor em 02/01/2016. A nova legislação garante mais direitos às pessoas com deficiência e prevê punições para atos discriminatórios. Dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que 45,6 milhões de pessoas afirmaram ter algum tipo de deficiência, o que representa 23,9% da população brasileira.

Entre os direitos garantidos pela nova lei para atender a essa parcela da população, estão a oferta de profissionais de apoio escolar em instituições privadas, sem custo para as famílias, a acessibilidade para pessoas com deficiência em 10% da frota de táxis e o auxílio-inclusão, benefício de renda complementar ao trabalhador com deficiência que ingressar no mercado de trabalho.

A lei também prevê punições como a detenção de dois a cinco anos para quem impedir ou dificultar o ingresso da pessoa com deficiência em planos privados de saúde e a quem negar emprego, recusar assistência médico-hospitalar ou outros direitos a alguém, em razão de sua deficiência.

A deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), relatora da proposta na Câmara, salientou os benefícios da lei em vigor. “É um ganho para o Brasil, tanto para o segmento da pessoa com deficiência como para toda a população. Ao promover esse protagonismo da pessoa com deficiência no Brasil, você acaba alavancando todos os setores, já que a lei dispõe sobre trabalho, saúde, educação e sobre infraestrutura das cidades.”

Contexto
A proposta, que era conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência, começou a ser discutida na Câmara dos Deputados em 2000, com a apresentação do Projeto de Lei 3638/00, do então deputado Paulo Paim. No entanto, esse projeto não chegou a ser aprovado em comissão especial, uma vez que foi apensado a outra proposta (PL 7699/06), do Senado.

Após passar pela comissão especial, o PL 7699/06 foi encaminhado ao Plenário da Câmara, onde foi aprovado na forma do substitutivo da deputada Mara Gabrilli, que acatou sugestões de diferentes setores da sociedade civil por meio do portal e-Democracia.

Críticas aos vetos
A LBI foi sancionada em julho do ano passado com sete vetos. Entre as medidas, foram vetadas pela presidente da República a reserva de 10% das vagas para estudantes com deficiência, em seleções para ingresso em cursos técnicos de nível médio e graduação, e a adoção do desenho universal no Minha Casa, Minha Vida, o que dispensaria ajustes de acessibilidades nas residências.

Um dos pontos que geraram críticas é o veto ao dispositivo que obrigava empresas com menos de 100 funcionários a contratarem pelo menos uma pessoa com deficiência. Atualmente, a obrigação – determinada pela Lei de Cotas (art. 93 da Lei 8213/91)  – vale apenas para as empresas com 100 trabalhadores ou mais.

Avanço
Na opinião da coordenadora-geral do Movimento Down, Maria Antônia Goulart, apesar dos vetos, a nova lei representa um avanço.

“A gente lamenta que, infelizmente, a lei não tenha sido aprovada na sua integralidade. Mas de qualquer forma, sem dúvida nenhuma é de um avanço muito significativo no sentido de ampliação de direitos para as pessoas com deficiência. Diante da aprovação de um texto tão importante, a gente tem que olhar para a frente e não ficar sempre destacando e colocando mais luz sobre o que ficou de fora”, avaliou.

A Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino (Confenen) entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra uma medida prevista na Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência que garante a obrigatoriedade de instituições de ensino públicas e privadas assegurarem educação aos estudantes com algum tipo de deficiência. A confederação defende que garantir educação de qualidade a estudantes com deficiência é responsabilidade do Estado e não das escolas particulares.

Íntegra da proposta:

PL 3638/2000

PL 7699/2006

Movimento Pela Redução de Perdas de Água na Distribuição


No dia 25 de novembro, empresas públicas e privadas e organizações da sociedade civil lançaram, em uma iniciativa da Rede Brasileira do Pacto Global, uma das mais importantes iniciativas para garantir o acesso universal à água no Brasil. O Movimento pela Redução de Perdas de Água na Distribuição foi apresentado durante o 21º Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, em Brasília.

Clique aqui e saiba mais sobre esta ação!

Manual de Segurança Viária


Juntamente com o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável, lançou o Manual de Boas Práticas em Segurança Viária e uma inédita Ferramenta de Autoavaliação, durante a 2ª Conferência Global de Alto Nível em Segurança no Trânsito, que aconteceu em Brasília, dia 18.

Manual de Segurança Viária

Clique e conheça a ferramenta!!!!

Dia Internacional dos Direitos Humanos


No dia 10 de dezembro é comemorado o Dia Internacional dos Direitos Humanos. Destaca-se os dois primeiros Princípios do Pacto Global:

  1. As empresas devem apoiar e respeitar a proteção de direitos humanos reconhecidos internacionalmente;
  2. Assegurar-se de sua não participação em violações a esses direitos.

Por intermédio do Grupo Temático de Direitos Humanos e Trabalho, a Rede Brasileira do Pacto Global trabalha o engajamento das empresas na temática, pois acredita que, além de respeitar,  as organizações precisam ter um papel proativo  na promoção dos direitos humanos.

E para celebrar a data, foi lançado o vídeo “Empoderando Refugiadas”, feito durante workshop homônimo realizado em novembro, em São Paulo, com a participação de cerca de 20 mulheres de países da África, América Latina e Oriente Médio. Este projeto conta com diversos parceiros: a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), ONU Mulheres, Cáritas, Programa de Apoio para a Recolocação dos Refugiados (PARR) e consultoria em recursos humanos Fox Time.

O objetivo deste vídeo é sensibilizar o setor privado sobre a causa dos refugiados no Brasil, que estão legalmente habilitados para serem contratados pelas empresas.

Assista aqui: https://www.youtube.com/watch?v=OqxhRbQe58o

 

Caderno do Pacto – Anticorrupção


A corrupção é um grande obstáculo para o desenvolvimento social e econômico em todo o mundo. Ela é ruim para empresas, sociedades e governos, e combatê-la é essencial. Portanto, Rede Brasileira do Pacto Global da ONU, por meio do Grupo Temático Anticorrupção, lançou o “Caderno do Pacto – Anticorrupção”, patrocinado pela Braskem, Grupo Libra, Itaipu Binacional e Deloitte. O objetivo é compartilhar as ações do Pacto para apoiar as organizações na adoção e manutenção dos programas de compliance e transparência e convidar mais organizações a se juntar as iniciativas de ações colaborativas neste sentido.

O “Caderno do Pacto – Anticorrupção” dedica um capítulo completo à Lei Anticorrupção (Lei 12.846/13) e apresenta um teste para avaliar o comportamento das empresas e pessoas diante de situações de práticas ilícitas. Reflexões de especialistas sobre os aspectos legais e experiências de desafios empresariais no combate à corrupção também estão disponíveis. Compartilhe esta publicação com a sua rede de relacionamento e torne os valores e princípios do Pacto Global acessíveis para outros públicos. O material serve tanto para as empresas que já adotam as práticas se atualizarem no debate quanto para aquelas que pretendem criar ações que coíbam a corrupção, independente do setor de atuação ou tamanho da empresa ou instituição.

Guia dos ODS para as empresas


Com a finalidade de orientar as empresas a respeito de como podem alinhar as suas estratégias, mensurar e administrar a sua contribuição para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, o CEBDS – Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável apresentou o Guia dos ODS para as Empresas.

Guia dos ODS para empresas

Acesse o guia através do link acima e conheça as Diretrizes para implementação dos ODS na estratégia dos negócios.

 

HOTSITE COP 21


Com o objetivo de apresentar um panorama geral da Conferência COP 21 o CEBDS – Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável lançou o hotsite www.cebds.org/cop21. A plataforma apresenta informações sobre a Conferência com notícias, fotos e vídeos.

Você ficará por dentro do que aconteceu na Conferência e também ter acesso a muitas matérias sobre Desenvolvimento Sustentável.

Vale a pena acessar!

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.