• Icones
  • INSTRUMENTOS PARA CONSULTA

  • Conheça as 11 ações que os funcionários do CREA-PR se comprometeram a executar em sua rotina diária:

    1 - Desligar o monitor na hora do almoço
    * é obrigatório desligar CPU e monitor após o expediente

    2 - Apagar todas as luzes na saída para o almoço
    * é obrigatório apagar todas as luzes após o expediente

    3 - Trocar o uso de copinho plástico para o café/chá por caneca

    4 - Adotar o uso de garrafa de água, ao invés do uso constante de copinhos plásticos

    5 - Separar o lixo em: papel, vidro, plástico e orgânico

    6 - Manter em local definido folhas utilizadas na frente para nova utilização na impressora (verso)

    7 - Manter local definido para depósito de papel já usado nos 2 lados (para descarte)

    8 - Antes de guardar o papel para reuso ou destinação final tirar clips e grampos

    9 - Ficar alerta para identificar e avisar sobre lâmpada queimada, torneira vazando, descarga desregulada, paredes sujas, etc

    10 - Ter comprometimento com o cuidado do ambiente

    11 - Reaproveitar os envelopes de papel, com novos usos

  • Conheça as sugestões encaminhadas pelo corpo funcional

    1 - Implantar PGRS nas unidades do CREA-PR

    2 - Buscar parceria com cooperativas e associações de catadores de papel para destinação do lixo coletado de forma seletiva

    3 - Mapear os utensílios disponíveis para coleta de lixo (lixeiras, cores, suporte para copo, café e água)

    4 - Modernização do ar condicionado (Lda)

    5 - Substituir frota a gasolina para uso de biocombustível (etanol)

    6 - Melhorar processos buscando maior adesão à documentos eletrônicos

    7 - Implantar programa de redução do uso de papel

    8 - Instalar sensor de presença em locais de menor acesso (arquivos, bwc, por exemplo)

    9 - Substituir torneira dos banheiros por torneiras de pressão

    10 - Criar mensagem positiva, voltada a sustentabilidade, para inserir na assinatura dos e-mails dos funcionários

    11 - Adotar uso de 100% de papel reciclável

    12 - Disponibilizar garrafa térmica para água - uso nos veículos

    13 - Aquisição de picotador de papel (para destinação de material sigiloso / dados cadastrais, etc)

    14 - Verificar melhor forma de destinação para grampos e clips

    15 - Disponibilizar lixeira (tnt) para carro

    16 - Disponibilizar suporte de garrafa (individual) para veículo

    17 - Realizar campanha antitabagismo

    18 - Incentivar adoção de Programa "Carona Solidária"

    19 - Aquisição de caneca de alumínio (para chá e café) em subsituição aos copinhos plásticos

    20 - Rever procedimentos e alternativas a impressão constante de fichas cadastrais

    21 -Adequar a impressão de ARs / sobra de papel

    22 - Realização de Palestras sobre Educação Ambiental

    23 - Fornecer roteirização (GPS) aos agentes de fiscalização - segurança/tempo/produtividade

    24 - Estipular um local para anotar nº de memorandos tramitados internamente no setor, suprimindo assim a impressão do mesmo, deixando-o somente virtual ex: do administrativo para o fiscal)

    25 - Identificar se há alguma restrição de documento que não possa ser impresso em papel reciclado

    26 - Rever os formulários utilizados no atendimento, se é possível inserir alguns campos para anotação de dados da ficha cadastral, suprimindo assim sua impressão

    27 - Priorizar o uso de meios eletrônicos (e-mail, arquivos eletrônicos, etc)

    28 - Analisar formas de reduzir a poluição visual nas unidades do Conselho (painel eletrônico)

    29 - Verificar mecanismo que impeça a incidência direta de luz solar no ambiente de trabalho, de modo que se mantenha a iluminação e a ventilação através das janelas

    30 - Instalação de sistema eletrônico de controle de luz (acende e apaga com horário agendado)

    31 - Verificar a viabilidade de secadores de mão com ar quente em substituição de toalhas/papel

    32 - Incentivar o uso de bicicleta (casa/trabalho/casa)

    33 - Disponibilizar bicicletário e também um vestiário (troca de roupa e banho)

    34 - Promover o “dia sem elevador”

    35 - Verificar a viabilidade para disponibilizar ônibus de transporte ao corpo funcional

    36 - Desligar a máquina fotocopiadora ao sair

    37 - Incentivar o corpo funcional a praticar o voluntariado

    38 - Racionalizar recursos não abrindo as unidades em datas de vésperas de feriado (uma vez que é baixa a procura por atendimento)

    39 - Descartar o uso de máquinas de café (foi unanime que pouquíssimos usam) e retornar ao café disponibilizado aos setores pela Copa

    40 - Verificar se as sugestões acatadas, estão contempladas no projeto da nova sede (principalmente no tocante a racionalização de água, energia / torneiras de pressão, descarga inteligente, saboneteiras...)

    41 - Disponibilizar orientações ao corpo funcional a respeito do uso dos equipamentos e materiais (o que é mais correto em relação a ligar/desligar, pode reusar o papel na impressora, etc)

    42 - Disponibilizar local de coleta de pilhas e outros resíduos perigosos

    43 - Uso apenas de pautas eletrônicas nas Câmaras Especializadas

    44 - Extinguir memorandos impressos dentro de um mesmo setor

    45 - Inserir como projeto futuro a digitalização de processos e protocolos

    46 - Estudar o uso de envelope vai-e-vem de papel e não de plástico como é hoje

    47 - Redução de certos impressos / funcionários percebem que há sobra de material (ex. catálogo empresarial)

    48 - Reduzir o "volume" do lixo, amassando latas de alumínio, por exemplo

    49 - Não amassar as folhas de papel pois prejudicam a reciclagem

    50 - Disponibilizar palestras sobre o tema de sustentabilidade e apresentação de "cases" de outras empresas

    51 - Motivar os funcionários a adotar "1 dia sem carro"

    52 - Utilizar os banners já usados para a confecção de crachás e outros materiais.

    53 - Rever nº de lanches solicitados para as reuniões, evitando desperdício

    54 - Manter motivados os funcionários com a apresentação constante de sugestões que venham de encontro a filosofia do Pacto Global

    55 - Usar sacos plásticos com cores diferenciadas por tipo de lixo (contemplar no PGRS)

    56 - Instituir o "Dia da Doação" para doação de roupas, livros, objetos, etc

    57 - Comprar produtos de qualidade, evitando o não uso e também possíveis descartes

    58 - Trocar toalheiro atual de tecido por toalhas de papel

    59 - Instalação de rampa de acesso para cadeirante no Desus/Call center (estar preparado para receber cadeirante)

    60 - Disponibilizar caixa coletadora de pilhas, baterias, óleo de cozinha...

    61 - Ampliar a disponibilização de serviços on line. caso do visto profissional entre outros

    62 - Estudar a possibilidade de frota com carros elétricos

    63 - Maior aproveitamento da iluminação e da ventilação natural

Expectativa de vida no País sobe 25,4 anos


young girl dancing happy in a fieldMédia passou de 48 anos para 73,4 anos no comparativo de 1960 com 2010, segundo dados do Censo.

A expectativa de vida do brasileiro aumentou em 25,4 anos de 1960 a 2010, ao passar de uma média de 48 anos para 73,4 anos. A esperança de vida do Censo 2010 já havia sido divulgada em dezembro, mas a comparação da evolução em 50 anos foi feita nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no anúncio de novos recortes de dados da pesquisa.

De acordo com o IBGE, o número médio de filhos por mulher caiu de 6,3 para 1,9 nesse mesmo período. A taxa está abaixo do nível de reposição da população, o que altera a pirâmide etária brasileira para uma estrutura mais envelhecida, como observada em países desenvolvidos. A participação de idosos na população saltou de 2,7% para 7,4%.

A diminuição nos níveis de fecundidade derrubou a parcela da população entre 0 e 14 anos de idade no total de brasileiros, que passou de 42,7% em 1960 para 24,1% em 2010. Com queda da mortalidade observada no período, a participação da população em idade ativa (15 a 64 anos) subiu de 54,6% para 68,5% do total.

O Censo de 2010 mostra ainda que a razão entre gêneros no País, que foi de 99,8 homens para cada 100 mulheres em 1960, chegou a 96 brasileiros do sexo masculino para cada 100 do sexo feminino em 2010.

Fonte: Gazeta do Povo

Anúncios

Krüger reforça compromisso do CREA-PR com a sustentabilidade


O CREA-PR é signatário do Pacto Global, da Organização das Nações Unidas (ONU) e, com isso, adota uma postura de compromisso com a sustentabilidade e a responsabilidade corporativa. Desde março deste ano, o Conselho conta com o CRSC-Comitê de Responsabilidade Socioambiental Corporativa, cujo objetivo é concentrar as demandas de ações voltadas à sustentabilidade e as decorrentes dos dez princípios do Pacto Global, distribuídos em quatro importantes áreas: Direitos Humanos, Relações de Trabalho, Meio Ambiente e Combate à Corrupção. Continue lendo

CREA-PR mostra trabalho sustentável na Rio+20


RIO + 20Uma comitiva do CREA-PR esteve presente na Rio+20, no Rio de Janeiro, acompanhando o presidente do CREA-PR, eng. civ. Joel Krüger, que participou do painel Cidades Sustentáveis: Desafios Globais, Soluções Locais. O painel fez parte da programação do Fórum de Sustentabilidade Corporativa Rio+20, promovido pelo Pacto Global das Nações Unidas, em parceria com o Secretariado da ONU para a Rio + 20, o Sistema ONU e a Rede Brasileira do Pacto Global.

Na fala de Krüger, as ações do Conselho dentro do programa Agenda Parlamentar, voltadas à proposição de políticas públicas e contribuição dos profissionais das áreas tecnológicas e entidades de classe para projetos de lei voltados ao desenvolvimento dos municípios paranaenses. “Avalio como extremamente importante e válida a participação do CREA-PR no evento e também como integrante da Aliança Paraná Sustentável, que visa ao fortalecimento das ações conjuntas em prol da melhoria da qualidade de vida dos paranaenses”, diz.

Temática – Krüger abordou os EBDRs – Estudos de Desenvolvimento Regional, fruto do programa Agenda Parlamentar, realizado pelo Conselho em parceria com as entidades de classe paranaenses para colaborar com a gestão pública a partir do conhecimento técnico de seus profissionais. Continue lendo

A cor do crescimento econômico


A cor do crescimento econômicoMesmo após o término da Rio+20, um dos principais temas da conferência permaneceu pouco palpável. Em meio a muitas críticas, emergiram apenas definições teóricas para o conceito de economia verde.

Ninguém sabe, ninguém viu. A Rio+20 acabou e um dos conceitos-chave da conferência, o de economia verde, permaneceu obscuro, em meio a críticas e definições teóricas.

“O conceito de economia verde ainda é uma ideia utópica, quase uma abstração.” Foi o que disse o engenheiro agrônomo Gonçalo Guimarães, da Universidade Federal do Rio de janeiro, em evento paralelo à Rio+20 realizado pelo Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe/ UFRJ).

Para o economista Joan Martinez Alier, da Universidade Autônoma de Barcelona (Espanha), o uso da expressão é apenas estratégia de marketing. Segundo ele, formulações teóricas verdes vêm sendo discutidas há décadas – e, até o momento, o que observamos é apenas a intensificação dos problemas socioambientais ao redor do globo. “Desenvolvimento sustentável, economia verde, chame como quiser. Nada disso funciona na prática”, opinou o economista. “E, cedo ou tarde, as Nações Unidas vão precisar de um novo relações públicas para renovar o slogan.” Continue lendo

Meio ambiente em pauta na reunião em Guaratuba


O presidente do CREA-PR, engenheiro civil Joel Krüger, esteve em Guaratuba nesta quinta-feira a convite da Associação dos Engenheiros Arquitetos e Agrônomos de Guaratuba, e participou de uma reunião com a presença do presidente da entidade, engenheiro civil Jarbas Pinto, do diretor de Meio Ambiente da Prefeitura Municipal, Vicente Variani, do inspetor Alessandro da Mota, do engenheiro civil Cladimor Lino Faé, da gerente da Regional Curitiba do CREA-PR, engenheira agrônoma Adriana Casagrande, e de diversos associados.

Na pauta, o registro da associação junto ao Sistema CONFEA/CREA, a programação da Agenda Parlamentar do município, marcada para dia 13 de setembro, e a elaboração do EBDM-Estudo Básico de Desenvolvimento Municipal de Guaratuba, que terá como tema Resíduos Sólidos.

“Este é um assunto de grande relevância neste momento, principalmente em relação à elaboração do PGRS de Guaratuba”, comentou o presidente da Associação, engenheiro civil Jarbas Pinto. Continue lendo

Presos em unidades federais poderão diminuir pena com horas de leitura


book 2A cada publicação lida, a pena será diminuída em quatro dias. No total, a redução poderá chegar a 48 dias em um ano com a leitura de até 12 livros.

Os presos que se dedicarem à leitura de obra literária, clássica, científica ou filosófica poderão ter as penas, em regime fechado ou semiaberto, reduzidas. A cada publicação lida, a pena será diminuída em quatro dias. No total, a redução poderá chegar a 48 dias em um ano com a leitura de até 12 livros, de acordo com a Portaria 276 do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial da União.

As normas preveem que o detento terá o prazo de 21 a 30 dias para a leitura de uma obra literária disponibilizada na biblioteca de cada presídio federal. Ao final, terá que elaborar uma resenha que será analisada por uma comissão de especialistas em assistência penitenciária. O participante do projeto contará com oficinas de leitura.

A comissão avaliadora também observará se as resenhas foram copiadas de trabalhos já existentes. Caso sejam consideradas plágio, o preso perderá automaticamente o direito de redução de sua pena.

Fonte: Gazeta do Povo

Gripe suína já matou cinco pessoas no Paraná em 2012


Porcos, SuinoculturaCURITIBA – A Secretaria de Saúde do Paraná informou nesta segunda-feira (18) a ocorrência de mais três mortes provocadas por influenza A (H1N1) – gripe suína no estado. Desde janeiro, cinco pessoas morreram no Paraná em decorrência do vírus Influenza H1N1. Os casos mais recentes ocorreram nas cidades de Curitiba, Cornélio Procópio e São Mateus do Sul.

Mais da metade dos 64 casos da doença confirmados este ano no Paraná foram diagnosticados em junho. Na semana passada, Santa Catarina já havia confirmado 22 mortes, desde o início do ano. O Rio Grande do Sul, duas. A chegada do inverno facilita a circulação do vírus. Em 2009, foram registrados 159 mortes por influenza A (H1N1) – gripe suína em todo o país.

“Mesmo com o fim da pandemia, o subtipo H1N1 continua circulando no mundo inteiro, agora produzindo apenas surtos localizados, porque a maioria das pessoas já está protegida contra ele, seja porque tiveram a infecção natural ou porque se vacinaram”, informa o Ministério da saúde em alerta emitido na última sexta-feira (15). O ministério recomenda que sejam mantidas as ações de prevenção, como lavar as mãos várias vezes ao dia, evitar tocar o rosto com as mãos e cobrir a boca e o nariz com lenço descartável quando tossir ou espirrar. As pessoas que apresentem sintomas como febre de início súbito, tosse ou dores na garganta, de cabeça, nos músculos ou articulações, devem procurar os serviços de saúde.

Mesmo antes da confirmação do diagnóstico por exames de laboratório ou agravamento dos sintomas, os médicos das regiões nas quais circula o subtipo H1N1 devem prescrever o antiviral oseltamivir (Tamiflu), em especial a gestantes, crianças, idosos, obesos e pessoas com doenças crônicas. No Paraná, os hospitais da rede privada que atendem casos de urgência já estão recebendo o medicamento.

Fonte: Diário comércio indústria e serviços