• Icones
  • INSTRUMENTOS PARA CONSULTA

  • Conheça as 11 ações que os funcionários do CREA-PR se comprometeram a executar em sua rotina diária:

    1 - Desligar o monitor na hora do almoço
    * é obrigatório desligar CPU e monitor após o expediente

    2 - Apagar todas as luzes na saída para o almoço
    * é obrigatório apagar todas as luzes após o expediente

    3 - Trocar o uso de copinho plástico para o café/chá por caneca

    4 - Adotar o uso de garrafa de água, ao invés do uso constante de copinhos plásticos

    5 - Separar o lixo em: papel, vidro, plástico e orgânico

    6 - Manter em local definido folhas utilizadas na frente para nova utilização na impressora (verso)

    7 - Manter local definido para depósito de papel já usado nos 2 lados (para descarte)

    8 - Antes de guardar o papel para reuso ou destinação final tirar clips e grampos

    9 - Ficar alerta para identificar e avisar sobre lâmpada queimada, torneira vazando, descarga desregulada, paredes sujas, etc

    10 - Ter comprometimento com o cuidado do ambiente

    11 - Reaproveitar os envelopes de papel, com novos usos

  • Conheça as sugestões encaminhadas pelo corpo funcional

    1 - Implantar PGRS nas unidades do CREA-PR

    2 - Buscar parceria com cooperativas e associações de catadores de papel para destinação do lixo coletado de forma seletiva

    3 - Mapear os utensílios disponíveis para coleta de lixo (lixeiras, cores, suporte para copo, café e água)

    4 - Modernização do ar condicionado (Lda)

    5 - Substituir frota a gasolina para uso de biocombustível (etanol)

    6 - Melhorar processos buscando maior adesão à documentos eletrônicos

    7 - Implantar programa de redução do uso de papel

    8 - Instalar sensor de presença em locais de menor acesso (arquivos, bwc, por exemplo)

    9 - Substituir torneira dos banheiros por torneiras de pressão

    10 - Criar mensagem positiva, voltada a sustentabilidade, para inserir na assinatura dos e-mails dos funcionários

    11 - Adotar uso de 100% de papel reciclável

    12 - Disponibilizar garrafa térmica para água - uso nos veículos

    13 - Aquisição de picotador de papel (para destinação de material sigiloso / dados cadastrais, etc)

    14 - Verificar melhor forma de destinação para grampos e clips

    15 - Disponibilizar lixeira (tnt) para carro

    16 - Disponibilizar suporte de garrafa (individual) para veículo

    17 - Realizar campanha antitabagismo

    18 - Incentivar adoção de Programa "Carona Solidária"

    19 - Aquisição de caneca de alumínio (para chá e café) em subsituição aos copinhos plásticos

    20 - Rever procedimentos e alternativas a impressão constante de fichas cadastrais

    21 -Adequar a impressão de ARs / sobra de papel

    22 - Realização de Palestras sobre Educação Ambiental

    23 - Fornecer roteirização (GPS) aos agentes de fiscalização - segurança/tempo/produtividade

    24 - Estipular um local para anotar nº de memorandos tramitados internamente no setor, suprimindo assim a impressão do mesmo, deixando-o somente virtual ex: do administrativo para o fiscal)

    25 - Identificar se há alguma restrição de documento que não possa ser impresso em papel reciclado

    26 - Rever os formulários utilizados no atendimento, se é possível inserir alguns campos para anotação de dados da ficha cadastral, suprimindo assim sua impressão

    27 - Priorizar o uso de meios eletrônicos (e-mail, arquivos eletrônicos, etc)

    28 - Analisar formas de reduzir a poluição visual nas unidades do Conselho (painel eletrônico)

    29 - Verificar mecanismo que impeça a incidência direta de luz solar no ambiente de trabalho, de modo que se mantenha a iluminação e a ventilação através das janelas

    30 - Instalação de sistema eletrônico de controle de luz (acende e apaga com horário agendado)

    31 - Verificar a viabilidade de secadores de mão com ar quente em substituição de toalhas/papel

    32 - Incentivar o uso de bicicleta (casa/trabalho/casa)

    33 - Disponibilizar bicicletário e também um vestiário (troca de roupa e banho)

    34 - Promover o “dia sem elevador”

    35 - Verificar a viabilidade para disponibilizar ônibus de transporte ao corpo funcional

    36 - Desligar a máquina fotocopiadora ao sair

    37 - Incentivar o corpo funcional a praticar o voluntariado

    38 - Racionalizar recursos não abrindo as unidades em datas de vésperas de feriado (uma vez que é baixa a procura por atendimento)

    39 - Descartar o uso de máquinas de café (foi unanime que pouquíssimos usam) e retornar ao café disponibilizado aos setores pela Copa

    40 - Verificar se as sugestões acatadas, estão contempladas no projeto da nova sede (principalmente no tocante a racionalização de água, energia / torneiras de pressão, descarga inteligente, saboneteiras...)

    41 - Disponibilizar orientações ao corpo funcional a respeito do uso dos equipamentos e materiais (o que é mais correto em relação a ligar/desligar, pode reusar o papel na impressora, etc)

    42 - Disponibilizar local de coleta de pilhas e outros resíduos perigosos

    43 - Uso apenas de pautas eletrônicas nas Câmaras Especializadas

    44 - Extinguir memorandos impressos dentro de um mesmo setor

    45 - Inserir como projeto futuro a digitalização de processos e protocolos

    46 - Estudar o uso de envelope vai-e-vem de papel e não de plástico como é hoje

    47 - Redução de certos impressos / funcionários percebem que há sobra de material (ex. catálogo empresarial)

    48 - Reduzir o "volume" do lixo, amassando latas de alumínio, por exemplo

    49 - Não amassar as folhas de papel pois prejudicam a reciclagem

    50 - Disponibilizar palestras sobre o tema de sustentabilidade e apresentação de "cases" de outras empresas

    51 - Motivar os funcionários a adotar "1 dia sem carro"

    52 - Utilizar os banners já usados para a confecção de crachás e outros materiais.

    53 - Rever nº de lanches solicitados para as reuniões, evitando desperdício

    54 - Manter motivados os funcionários com a apresentação constante de sugestões que venham de encontro a filosofia do Pacto Global

    55 - Usar sacos plásticos com cores diferenciadas por tipo de lixo (contemplar no PGRS)

    56 - Instituir o "Dia da Doação" para doação de roupas, livros, objetos, etc

    57 - Comprar produtos de qualidade, evitando o não uso e também possíveis descartes

    58 - Trocar toalheiro atual de tecido por toalhas de papel

    59 - Instalação de rampa de acesso para cadeirante no Desus/Call center (estar preparado para receber cadeirante)

    60 - Disponibilizar caixa coletadora de pilhas, baterias, óleo de cozinha...

    61 - Ampliar a disponibilização de serviços on line. caso do visto profissional entre outros

    62 - Estudar a possibilidade de frota com carros elétricos

    63 - Maior aproveitamento da iluminação e da ventilação natural

  • Anúncios

Área desmatada em agosto é 220% maior que mesmo período do ano passado


A área de destruição de florestas da Amazônia legal (área que engloba os estados brasileiros pertencentes à Bacia amazônica e a área de ocorrência de vegetações amazônicas) no mês de agosto foi de 522 km2. Os dados foram fornecidos pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

O desmatamento é 220% maior que o ocorrido no mesmo período do ano passado. Também é o maior índice de perda de florestas neste ano.

A área desmatada no último mês é pouco maior que o município de Porto Alegre. Neste ano, a área devastada é de 1.562,96 km2, maior que o tamanho da cidade de São Paulo.

Os Estados do Pará e do Mato Grosso foram os que mais perderam florestas, com 227 km2 e 208 km2 de área desmatada, respectivamente.

Desmatamento em Moraes Almeida (PA) mostra que devastação da Amazônia ocorre também dentro de áreas de mata preservada

Fonte: Folha.com

Anúncios

Pesquisadores desenvolvem barreira acústica para estradas a partir de pneus


Pesquisadores espanhóis chegaram a uma “receita” diferente para minimizar o ruído de carros nas estradas próximas a grandes centros urbanos. Ao invés do concreto, a proposta é reaproveitar pneus velhos para a construção de barreiras acústicas nas rodovias.

Um dos principais objetivos do projeto, chamado Ekopan, é valorizar o material que seria desperdiçado e obter uma performance ambiental melhor que barreiras convencionais – o que é possível, também, com a redução das emissões de gás carbônico proveniente da fabricação do concreto.

“Além das vantagens ambientais, o uso de materiais porosos como a borracha permite uma barreira acústica com propriedades avançadas de absorção de ruído”, diz o site. As barreiras também são mais leves e pré-moldadas, o que reduz os custos durante a construção.

Agora, a equipe do projeto estuda formas de viabilizar a produção em larga escala das barreiras acústicas feitas com borracha de pneu. “O foco é otimizar o processo de manufatura para a escala industrial, validar as propriedades mecânicas e acústicas e conduzir um estudo de mercado para a venda do produto”.

Fonte: Superinteressante

Energia alternativa pode crescer 40% no Brasil


A geração de energia em hidrelétricas predomina na matriz energética brasileira, mas novo estudo do WWF aponta que, se houver vontade política, dá para aumentar em, pelo menos, 40% a produção de eletricidade por fontes renováveis alternativas – como a eólica – sem gastar muito mais por isso.

Dados do Balanço Energético Nacional 2012* revelam que a energia hídrica representa mais de 81% da matriz elétrica brasileira. Mas será que essa dependência das grandes usinas hidrelétricas é realmente necessária para suprir a demanda da população por eletricidade? O novo estudo Além de grandes hidrelétricas: políticas para fontes renováveis de energia elétrica no Brasil, do WWF-Brasil, aponta que não.

Segundo a publicação, o país já tem capacidade para aumentar em, pelo menos, 40% a produção de eletricidade a partir de fontes renováveis alternativassobretudo se investir na geração de energia eólica, de biomassa e nas Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs).

No caso da eletricidade gerada a partir do vento, por exemplo, o estudo revela que o Brasil é capaz de produzir 300 milhões de kW. Atualmente, no entanto, não produz nem a metade, gerando cerca de 114 milhões de kW.

A energia solar também não fica atrás no quesito potencial. De acordo com a publicação do WWF, se o lago de Itaipu fosse totalmente coberto com painéis fotovoltaicos, por exemplo, seria possível produzir, anualmente,183 milhões TWh, o que representa o dobro de toda a energia elétrica produzida pela usina de Itaipu em 2011.

E mais: segundo o estudo, o país sinaliza para uma tendência de queda nos preços das fontes renováveis alternativas nos próximos 10 a 15 anos – enquanto o valor da produção de eletricidade nas usinas hidrelétricas seguirá o caminho oposto, de aumento -, transformando-as interessantes, também, do ponto de vista econômico.

No entanto, para que o Brasil realmente consiga atingir todo o potencial que possui na geração de energia a partir de fontes renováveis alternativas, é preciso vontade política. Isso porque a criação de novos subsídios ou, ainda, o redirecionamento dos subsídios já existentes que atualmente são voltados para a viabilização da produção energética por fontes fósseis – é fundamental no processo de transição para uma matriz elétrica menos dependente das usinas hidrelétricas.

“A conclusão do estudo é clara: o potencial das fontes renováveis alternativas é imenso e pouco aproveitado. Havendo vontade política, o governo brasileiro tem como promover as ações sugeridas no documento e, assim, atender a uma significativa parte das demandas de eletricidade do país a partir de fontes limpas e de baixo impacto ambiental“, diz Carlos Rittl, coordenador do Programa Mudanças Climáticas e Energia do WWF-Brasil.

Fonte: Planeta Sustentável

Encontro debaterá reforma da ONU


Reestruturação do Conselho de Segurança deve ser um dos principais debates da Assembleia Geral das Nações Unidas, que começa amanhã.

AFP / Stan Honda / Presidente Dilma Rousseff discursa na abertura da Assembleia Geral da ONU de 2011A presidente Dilma Rousseff chegou ontem em Nova York, onde discursará, na terça-feira, na 67ª Assembleia Geral das Nações Unidas. Ela deve reiterar que apenas esforços conjuntos na busca por soluções para conter os efeitos da crise econômica internacional evitarão danos às metas de inclusão social e redução da pobreza no mundo. Ela também pretende destacar os avanços obtidos na Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, em junho. Dilma fica até o dia 26 em Manhattan.

No ano passado, a presidente foi a primeira mulher a discursar na Assembleia Geral da ONU. Inicialmente, na edição deste ano, está confirmada apenas uma reunião dela com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Não há encontros confirmados com outros presidentes e líderes.

Sobre a Síria, Dilma deverá defender o fim da violência, a busca da paz por meio do diálogo, o respeito aos direitos humanos e a não intervenção militar. No âmbito regional, a presidente deve ressaltar que atualmente na América Latina a integração está diretamente relacionada ao respeito à democracia. É uma referência à necessidade de preservar a ordem democrática, algo que os líderes latino-americanos suspeitam que não ocorreu no Paraguai durante a destituição do então presidente Fernando Lugo, em 22 de junho.

A reforma do Conselho de Segurança será um dos temas debatidos na Assembleia Geral. Para Rafael Pons Reis, professor de Relações Internacionais do Centro Universitário Uninter, Dilma deve aproveitar a pauta da reforma, para reforçar o pedido de inserção do Brasil no órgão da ONU. “Em 2011, ela já tinha pedido mais democratização das decisões com relação a manutenção da paz. Este ano, esse debate deve ser um dos mais esperados”, diz.

O Conselho de Segurança é formado por cinco membros permanentes, com poder decisório sobre intervenções militares: China, EUA, França, Reino Unido e Rússia. Como a entidade foi formada há mais de seis décadas, uma reestruturação é uma necessidade, defende Leonardo Caldeira Brant, professor de Direito Internacional da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). “A conjuntura atual não traduz mais a realidade unilateral do fim da Segunda Guerra Mundial [quando foi criado o órgão]. É preciso que outros países tenham direito às decisões do Conselho”, afirma.

O problema, segundo o professor da UFMG, é a dificuldade que os membros-permanentes teriam em abrir mão de concessões. “Não acredito que vai haver consenso entre eles. É preciso uma situação limite para que China e EUA, por exemplo, abdiquem do pode de veto.”

Agenda

Além da reforma do Conselho de Segurança, a pauta da Assembleia Geral também inclui discussões sobre segurança e paz mundial. Conflitos como os da Síria e da Líbia devem ser destaque nas reuniões de alto nível.

Outro ponto que deve ser discutido é o ingresso da Palestina como estado observador, que precisa ser aprovado pela Assembleia Geral. “Essa pode ser uma das decisões mais concretas do evento, que pode reconhecer a região politicamente”, observa Eduardo Biacchi Gomes, professor de Direito Internacional das Faculdades Integradas do Brasil.

A questão da sustentabilidade também deve ser tema de debates entre os países-membros das Nações Unidas. O Brasil deve apresentar resultados da Rio+20, reforçando os compromissos firmados no encontro em prol do meio-ambiente que ocorreu em junho no Rio de Janeiro.

Fonte: Gazeta do Povo

Discussão sobre atribuições na área ambiental em Ponta Grossa


2012_19394_23082012735A Regional Ponta Grossa do CREA-PR promove reunião no dia 25 de setembro para discutir as atribuições profissionais na área de meio ambiente, anotação de ART sobre serviços ambientais e esclarecimentos sobre a fiscalização de atividades na área ambiental. O evento é promovido em parceria com a AEACG – Associação dos Engenheiros Agrônomos dos Campos Gerais e AEAPG – Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Ponta Grossa. Estão convidados a participar do evento os profissionais que atuam na área ambiental na região de abrangência da Regional Ponta Grossa.
O evento ocorrerá no auditório da Inspetoria de Ponta Grossa do CREA-PR (Av. João Manoel dos Santos Ribas, 370, em frente ao SENAC Ponta Grossa), no horário das 8h30 às 11h30. Os interessados devem se inscrever pelo telefone (42) 3219-5300.

Fonte: CREA-PR

Arquitetos britânicos projetam ciclovia suspensa por falta de espaço


Andar de bike em ciclovias suspensas. Já pensou nisso? Um grupo de arquitetos britânicos colocou a ideia no papel e criou o projeto SkyCycle. A prefeitura de Londres gostou e deve implementá-lo a partir de 2015, em parceria com a Network Rail, empresa que administra o metrô londrino. A previsão é que demore dois anos para ficar pronto.

Segundo Sam Martin, diretor do estúdio Exterior Architecture, idealizador do projeto, o número de viagens de bicicleta triplicará até 2020, chegando a 1,5 milhão. “Para onde vai todo mundo? O SkyCycle é o passo mais lógico, pois realisticamente não é mais possível construir ciclovias no chão”, disse em entrevista ao Daily Mail.

A previsão é que os ciclistas paguem 1 libra por viagem, o que torna o uso da bicicleta nas rotas do SkyCycle mais baratas que o transporte público. O vídeo abaixo mostra uma animação do projeto:

Fonte: Superinteressante

Designer italiano cria forno que transforma água salgada em potável


Com uma tecnologia simples, o designer italiano Gabrielle Diamanti desenvolveu um produto capaz de dessalinizar água salgada e transformá-la em água potável. O Eliodomestico, como é chamado o projeto, levou 7 anos para ser concluído e já participou de exibições na Itália, França e Espanha.

A invenção é uma espécie de forno cerâmico dividido em três partes. A água salgada é armazenada em um recipiente preto. Com o calor do sol, o vapor de água é empurrado por pressão e condensado. Por meio de um tubo, escorre para a bacia de coleta.

O Eliodomestico não usa eletricidade, não tem filtros, possui manutenção simples, pode ter bom impacto para a economia local (e nenhum para o meio ambiente), e tem capacidade de dessalinizar até 5 litros de água em um dia. Segundo o site oficial do designer, o produto é feito de materiais largamente usados e disponíveis e as tecnologias envolvidas na produção são simples e populares. O custo estimado é de 50 dólares.

Fonte: Superinteressante