• Icones
  • INSTRUMENTOS PARA CONSULTA

  • Conheça as 11 ações que os funcionários do CREA-PR se comprometeram a executar em sua rotina diária:

    1 - Desligar o monitor na hora do almoço
    * é obrigatório desligar CPU e monitor após o expediente

    2 - Apagar todas as luzes na saída para o almoço
    * é obrigatório apagar todas as luzes após o expediente

    3 - Trocar o uso de copinho plástico para o café/chá por caneca

    4 - Adotar o uso de garrafa de água, ao invés do uso constante de copinhos plásticos

    5 - Separar o lixo em: papel, vidro, plástico e orgânico

    6 - Manter em local definido folhas utilizadas na frente para nova utilização na impressora (verso)

    7 - Manter local definido para depósito de papel já usado nos 2 lados (para descarte)

    8 - Antes de guardar o papel para reuso ou destinação final tirar clips e grampos

    9 - Ficar alerta para identificar e avisar sobre lâmpada queimada, torneira vazando, descarga desregulada, paredes sujas, etc

    10 - Ter comprometimento com o cuidado do ambiente

    11 - Reaproveitar os envelopes de papel, com novos usos

  • Conheça as sugestões encaminhadas pelo corpo funcional

    1 - Implantar PGRS nas unidades do CREA-PR

    2 - Buscar parceria com cooperativas e associações de catadores de papel para destinação do lixo coletado de forma seletiva

    3 - Mapear os utensílios disponíveis para coleta de lixo (lixeiras, cores, suporte para copo, café e água)

    4 - Modernização do ar condicionado (Lda)

    5 - Substituir frota a gasolina para uso de biocombustível (etanol)

    6 - Melhorar processos buscando maior adesão à documentos eletrônicos

    7 - Implantar programa de redução do uso de papel

    8 - Instalar sensor de presença em locais de menor acesso (arquivos, bwc, por exemplo)

    9 - Substituir torneira dos banheiros por torneiras de pressão

    10 - Criar mensagem positiva, voltada a sustentabilidade, para inserir na assinatura dos e-mails dos funcionários

    11 - Adotar uso de 100% de papel reciclável

    12 - Disponibilizar garrafa térmica para água - uso nos veículos

    13 - Aquisição de picotador de papel (para destinação de material sigiloso / dados cadastrais, etc)

    14 - Verificar melhor forma de destinação para grampos e clips

    15 - Disponibilizar lixeira (tnt) para carro

    16 - Disponibilizar suporte de garrafa (individual) para veículo

    17 - Realizar campanha antitabagismo

    18 - Incentivar adoção de Programa "Carona Solidária"

    19 - Aquisição de caneca de alumínio (para chá e café) em subsituição aos copinhos plásticos

    20 - Rever procedimentos e alternativas a impressão constante de fichas cadastrais

    21 -Adequar a impressão de ARs / sobra de papel

    22 - Realização de Palestras sobre Educação Ambiental

    23 - Fornecer roteirização (GPS) aos agentes de fiscalização - segurança/tempo/produtividade

    24 - Estipular um local para anotar nº de memorandos tramitados internamente no setor, suprimindo assim a impressão do mesmo, deixando-o somente virtual ex: do administrativo para o fiscal)

    25 - Identificar se há alguma restrição de documento que não possa ser impresso em papel reciclado

    26 - Rever os formulários utilizados no atendimento, se é possível inserir alguns campos para anotação de dados da ficha cadastral, suprimindo assim sua impressão

    27 - Priorizar o uso de meios eletrônicos (e-mail, arquivos eletrônicos, etc)

    28 - Analisar formas de reduzir a poluição visual nas unidades do Conselho (painel eletrônico)

    29 - Verificar mecanismo que impeça a incidência direta de luz solar no ambiente de trabalho, de modo que se mantenha a iluminação e a ventilação através das janelas

    30 - Instalação de sistema eletrônico de controle de luz (acende e apaga com horário agendado)

    31 - Verificar a viabilidade de secadores de mão com ar quente em substituição de toalhas/papel

    32 - Incentivar o uso de bicicleta (casa/trabalho/casa)

    33 - Disponibilizar bicicletário e também um vestiário (troca de roupa e banho)

    34 - Promover o “dia sem elevador”

    35 - Verificar a viabilidade para disponibilizar ônibus de transporte ao corpo funcional

    36 - Desligar a máquina fotocopiadora ao sair

    37 - Incentivar o corpo funcional a praticar o voluntariado

    38 - Racionalizar recursos não abrindo as unidades em datas de vésperas de feriado (uma vez que é baixa a procura por atendimento)

    39 - Descartar o uso de máquinas de café (foi unanime que pouquíssimos usam) e retornar ao café disponibilizado aos setores pela Copa

    40 - Verificar se as sugestões acatadas, estão contempladas no projeto da nova sede (principalmente no tocante a racionalização de água, energia / torneiras de pressão, descarga inteligente, saboneteiras...)

    41 - Disponibilizar orientações ao corpo funcional a respeito do uso dos equipamentos e materiais (o que é mais correto em relação a ligar/desligar, pode reusar o papel na impressora, etc)

    42 - Disponibilizar local de coleta de pilhas e outros resíduos perigosos

    43 - Uso apenas de pautas eletrônicas nas Câmaras Especializadas

    44 - Extinguir memorandos impressos dentro de um mesmo setor

    45 - Inserir como projeto futuro a digitalização de processos e protocolos

    46 - Estudar o uso de envelope vai-e-vem de papel e não de plástico como é hoje

    47 - Redução de certos impressos / funcionários percebem que há sobra de material (ex. catálogo empresarial)

    48 - Reduzir o "volume" do lixo, amassando latas de alumínio, por exemplo

    49 - Não amassar as folhas de papel pois prejudicam a reciclagem

    50 - Disponibilizar palestras sobre o tema de sustentabilidade e apresentação de "cases" de outras empresas

    51 - Motivar os funcionários a adotar "1 dia sem carro"

    52 - Utilizar os banners já usados para a confecção de crachás e outros materiais.

    53 - Rever nº de lanches solicitados para as reuniões, evitando desperdício

    54 - Manter motivados os funcionários com a apresentação constante de sugestões que venham de encontro a filosofia do Pacto Global

    55 - Usar sacos plásticos com cores diferenciadas por tipo de lixo (contemplar no PGRS)

    56 - Instituir o "Dia da Doação" para doação de roupas, livros, objetos, etc

    57 - Comprar produtos de qualidade, evitando o não uso e também possíveis descartes

    58 - Trocar toalheiro atual de tecido por toalhas de papel

    59 - Instalação de rampa de acesso para cadeirante no Desus/Call center (estar preparado para receber cadeirante)

    60 - Disponibilizar caixa coletadora de pilhas, baterias, óleo de cozinha...

    61 - Ampliar a disponibilização de serviços on line. caso do visto profissional entre outros

    62 - Estudar a possibilidade de frota com carros elétricos

    63 - Maior aproveitamento da iluminação e da ventilação natural

Sistema Habitacional Precon: reconhecido como melhor caso de negócios sustentáveis da Conferência Ethos


Pelo reconhecimento, gestores vão ao Fórum de Lille apresentar essa experiência.

Um dos desafios da Conferência Ethos 2013 era fazer teoria e prática andarem juntas para construir negócios sustentáveis e responsáveis. Por isso, além de oferecer as tradicionais palestras e debates, este ano a programação trouxe também entre os módulos de análises de casos e modelos de negócios sustentáveis. Na verdade, eles se constituíram em exercícios de análises de casos concretos e de modelagem de negócios sustentáveis.

Nos três dias de Conferência, 5 casos e 6 modelos que passaram pela pré-seleção foram apresentados ao vivo a uma banca de especialistas e ao público que, ao se inscrever na Conferência, escolheu participar das sessões de análise de casos ou de modelos.

Os seis modelos selecionados para a Conferência foram Optimale Soluções; – Konkero; Limpgas Tecnologia em Descarte de Gases Industriais Ltda; Extrair; Desfruta e Treebos. 

No que tange aos casos concretos, os cinco selecionados para serem apresentados ao público foram: Walmart Sustentabilidade Ponta a Ponta; Natura Sou; JBS Sustentabilidade a serviço do negócio; Light Legal e Sistema Habitacional Precon (SPH).

 Treebos e SPH foram reconhecidos como os melhores modelo e caso de negócios sustentáveis da Conferência Ethos 2013. Por esse reconhecimento, os gestores vão ao Fórum de Lille apresentar essas experiências.

 

Quem quiser saber detalhes desses dois exemplos e de todos os modelos e casos aqui citados pode acessar o site do Instituto Ethos: www.ethos.org.br

Vamos destacar, a seguir,  a experiência do Sistema Habitacional Precon (SPH), pelos dilemas socioambientais que a solução apresentada enfrenta num setor particularmente estratégico para a economia e o desenvolvimento sustentável: a construção civil.

Contexto socioeconômico e ambiental

 O setor da construção civil tem um papel fundamental a desempenhar para o desenvolvimento sustentável. O Conselho Internacional da Construção (CIB) aponta essa indústria como uma das atividades humanas que mais consome recursos naturais e utiliza energia de forma intensiva, gerando consideráveis impactos ambientais. Além dos impactos relacionados ao consumo de matéria e energia, há aqueles associados à geração de resíduos. Estima-se que mais de 50% dos resíduos sólidos gerados pelo conjunto das atividades humanas sejam provenientes da construção. Tais aspectos ambientais, somados à qualidade de vida que o ambiente construído proporciona, sintetizam as relações entre construção e meio ambiente.

Diante desse quando, o CIB tem recomendado que países adotem diretrizes no sentido de cada vez mais ordenar sua indústria para: busca de soluções que potencializem o uso racional de energia ou de energias renováveis; gestão ecológica da água; redução do uso de materiais com alto impacto ambiental; redução dos resíduos da construção ; especificações que permitam a reutilização de materiais.

A Precon, uma construtora fundada em 1963, começou a se debruçar sobre esses dilemas ainda nos anos 1990 e há 20 anos iniciou as pesquisas para desenvolver o que viria a ser o Sistema Habitacional Precon.

Mais do que os dados do cenário internacional, preocupavam a empresa as estatísticas relativas à realidade brasileira, em que, no aspecto ambiental,  40% dos materiais consumidos vão para a construção civil; o setor gera 30% do lixo sólido e representa 20% do consumo de água e 35% da energia de toda a sociedade brasileira.

No aspecto social, a informalidade, alta rotatividade, a má formação profissional e a baixa produtividade são os obstáculos a serem superados para garantir a esses profissionais mais renda e qualidade de vida.

Buscando uma “fórmula” que conseguisse reduzir ao mínimo os impactos socioambientais e mantivesse a margem econômica da empresa, a Precon investiu na pesquisa e desenvolveu o Sistema Habitacional Precon (SHP) , um sistema construtivo industrializado para residências, com alto padrão de qualidade, que reduz o tempo de construção pela metade – o que permite construir mais unidades num mesmo espaço de tempo, diminuindo o valor do metro quadrado construído para o consumidor.

O SHP trouxe para a construção civil o conceito de “montadora de automóveis”. Ele é dividido em três fases:

Estrutura e fechamento: pilares, vigas, lajes e painéis prontos são produzidos em planta industrial, com tecnologia própria, desenvolvida pela Precon. Na própria fabricação são incorporados aos componentes as portas, janelas, eletrodutos e tubulações.

Montagem: as estruturas são montadas como kits em tempo reduzido;

Acabamento: os kits são enviados para a obra, a partir de um rigoroso planejamento logístico.

As estruturas pré-fabricadas são de concreto e os painéis de vedação são de tijolo cerâmico.

Para garantir a qualidade e diferenciais ao cliente final, a Precon atua em todo o ciclo do imóvel, que inclui seleção e compra do terreno; projetos e licenças; construção industrializada; comercialização; entrega das chaves e pós-obra.

A tecnologia SHP está disponível desde 2010; em 2011, respondeu por 11% do faturamento da empresa; em 2012; por 40%; estima-se que chegue a 60% a partir de 2013.

Esse sistema possui capacidade de atendimento de um raio de 300 km de sua unidade fabril localizada na região metropolitana de Belo Horizonte / MG. Um meio de ampliar sua utilização pelo país é fazer parcerias e a Precon já está atuando para isso. Mas, como empresa de mineiros,  prefere não por o carro na frente dos bois.

Legenda da foto: Marcelo M. de Miranda

Fonte:  Instituto Ethos

%d blogueiros gostam disto: